30 janeiro 2013

Post Especial - Imaginar, desejar ou planejar

Hoje temos um post especial da minha amiga Léa Cristofolini Maul.
Ela mora aqui na minha cidade e é amiga de longa data.
Falei dela AQUI e AQUI.
Depois de muitas tentativas naturais para engravidar, sem sucesso, ela e o marido recorreram à fertilização in vitro. E o resultado, já na primeira tentativa é essa menina linda, a Manuela.

Confiram a história emocionante dela e se inspirem.
Quando casei eu tinha 17 anos e meu marido 22 anos. Foi por amor e em “comunhão universal de dívidas”, ou seja, começamos juntos a construir uma vida a dois, sem dinheiro mas com muitos sonhos para realizar.
O principal sonho era formar uma família, com filhos, cachorro, papagaio... mas antes eu quis estudar e somente no último ano de faculdade, já com 11 anos de casados é que começamos a fazer os exames de rotina para a encomenda com a cegonha.
Para nossa tristeza e desencanto descobrimos que meu marido tinha menos de 2% de fertilidade devido à baixa produção de espermatozoides.

Muitos homens demoram ou nunca chegam a desejar realmente formar uma família, mas meu marido sempre sonhou em ter filhos como forma de se sentir completo e feliz.
Fiquei sem chão, parecia tão injusto que alguém tão cheio de afeto para oferecer a uma criança como ele, fosse privado de ter seu próprio filho.
Esperei uns meses e o convenci a começarmos o que seria uma jornada de exames e consultas médicas em busca de alguma esperança.

Depois de diferentes alternativas, incluindo 02 anos de controle hormonal e coito programado, tudo sem nenhum sucesso, ficamos cansados e decidimos entrar para a fila de adoção.
Com a sensação de termos tomado a decisão certa, começamos a pesquisar a respeito e veio então uma nova decepção ao sabermos que o tempo de espera previsto na fila de adoção era de aproximadamente 5 anos por querermos uma criança com no máximo 3 anos de idade, mesmo que independente de cor o sexo.
Foi revoltante saber que, a morosidade e burocracia do processo de adoção impede crianças carentes de amor e casais com afeto de sobra para dar, de se encontrarem e formarem um família.
Já estávamos casados há 13 anos e esperar mais 5 para ter um filho parecia insuportável. Então procuramos o melhor especialista em fertilidade da nossa região, que nos indicou a F.I.V. (fertilização in Vitro) como a única opção com chances reais de sucesso. Havia finalmente uma esperança, então resolvemos por questões financeiras, tentar uma única vez, e caso não desse certo, aguardaríamos o tempo que fosse por um filho adotivo.

Fiz uma pausa na minha vida: passei a trabalhar menos, aprendi a relaxar e deixei tudo organizado para poder dar uma “sumida” de minha empresa durante o tratamento.
Encarei tudo com alegria, apliquei sozinha as injeções diárias, tomei os remédios direitinho e fiz o repouso sugerido pelo médico após a implantação dos embriões. E rezei muito, muito, muito, para conseguir realizar este sonho e principalmente para fazer de meu marido um pai.

Treze dias depois da F.I.V, numa tarde chuvosa, estávamos eu, meu marido e minha mãe abraçados, chorando com o exame positivo nas mãos!
Dali para frente foram os meses mais felizes da minha vida até então, imaginado e planejando tudo para a chegada do nosso bebê que mais tarde saberíamos ser uma menina, que decidimos chamar de Manuela.
A gravidez passou muito rápido, mas curti cada minuto e apesar de alguns desconfortos físicos, foi tranqüila e uma época muito feliz, onde me senti abençoada.

Hoje, meu momento preferido do dia é quando faço minha filha dormir aconchegada no meu colo, sentindo sua respiração calma e totalmente entregue depois de todas as peraltices dela no decorrer do dia. Nesse momento é impossível não se emocionar e  agradecer  por ela estar aqui comigo e finalmente sermos uma família completa.

A poucos dias da Manuela completar 01 ano de vida, quando me perguntam se ser mãe foi como imaginei, minha resposta é:

- Jamais imaginei que pudesse ter depressão pós parto, aliás, qualquer tipo de depressão.
- Não esperava que minha filha pudesse nascer com refluxo severo, que nos acompanhou num desafio diário do 20º dia até os 09 meses.
- Planejei amamentar pelo menos até 01 ano e por diversos motivos não consegui passar do quinto mês.

Mas também:

- Não imaginava que um bebê pudesse unir tanto uma família e que eu passaria a amar e admirar ainda mais minha mãe e minhas irmãs.
- Nem sonhava que fosse possível sentir tanto amor, se doar tanto e com tanto prazer aprendendo a cada dia com um ser tão frágil que é um bebê.
- Não imaginava que pudesse amar meu marido ainda mais do que já amava. Mas já sabia que ele seria um pai maravilhoso como ele de fato tem sido.
- Não planejava ficar tão boba, daquelas mães orgulhosas mostrando fotos da filha no celular enquanto está na fila do supermercado.
- Não desejava incomodar tanto minha mãe pedindo ajuda e nem imaginava que ela teria tanta alegria e prazer em me ajudar (obrigada mãe).
- Sonhava em ver meu marido com nosso bebê nos braços, mas nunca imaginei que seria tão emocionante e que tantos meses depois eu ainda ficaria com os olhos marejados de vê-lo com a Manu no colo.
- Se tivesse planejado como a Manuela seria, não teria chegado nem perto da criança surpreendente e maravilhosa que ela é!

Se estamos felizes? Sim, e muito, muito mais do que poderíamos imaginar, desejar ou planejar.

8 comentários:

Marjorie disse...

Q linda historia, uma historia de amor mesmo! Que Deus abençoe!

Stella disse...

Nossa linda historia.... e com um final mais q feliz ne... amei
bjs

Val disse...

Linda historia! Parabens pela familia linda! :)

Cláudia Leite disse...

Que depô emocionante... adorei!
Que Deus abençoe essa família linda!

Jana disse...

Linda história e o mais importante é que teve final feliz, aliás, final não... pq está apenas começando com esse presente lindo que é a baby.

bjo!

Thania disse...

LINDAAAA historia!!!!!!!!!!

Marco Propaganda Visual disse...

Toda essa luta com certeza contribuiu para você ser a mãe que é hoje. Corajosa, atenciosa e amorosa. Tenho orgulho de vocês, e amo muito vocês duas.

Roberta disse...

Ela esta cada dia mais linda! beijus