25 março 2013

O valor das coisas

Participo de um grupo de brechó entre mães no facebook e em pouco tempo pude perceber uma coisa interessante: não adianta você colocar à venda uma roupa linda, bem cuidada e com bom preço. Isso não é atrativo pra maioria das mães. Tem que ter aquela coisa chamada "marca". E se for estrangeira melhor ainda. Por isso quase não consigo vender nada, pois a Beatriz praticamente não tem roupas de marca. As que tem, ou ganhou, ou comprei em liquidações. Mas não pela marca em si, e sim pela beleza do produto, pelo preço e pela qualidade.

Me pergunto como é que essas crianças vão crescer dando valor às coisas que importam...
Simples: não vão.
Vão ser iguaizinhas às mães. Vão querer a mochila mais cara, o tênis da marca top, as roupas importadas.
Vão se introduzindo no mundo da futilidade desde cedo.
E muitas vezes, quer dizer, na maioria das vezes essas mães não têm dinheiro nem para o essencial na vida dessa criança. Ah, mas para as roupas de marca elas sempre dão um jeito.
Muitas vezes devem pra Deus e o mundo, mas estão com o carro do ano e bolsa Louis Vuitton.
Reclamam da mensalidade irrisória de uma creche mas não do preço absurdo de uma roupinha que vai servir por bem menos de 1 ano.

Bom, eu adoro roupas bonitas e de qualidade, tanto pra mim quanto pra minha filha.
Mas independe se é de marca conhecida, desconhecida, nacional, estrangeira, se minha mãe que fez ou se mandei fazer na costureira.
Então acredito que vou ensinando minha filha desde cedo a ter bom gosto, porém sabendo dar valor ao dinheiro.

Quero que ela cresça acreditando que mais vale um jeans surradinho dentro de um lar harmonioso, com pais carinhosos, amigos e companheiros do que aquela peça tendência da última coleção dentro de um lar fútil cheio de intrigas, desunião e ostentação.


10 comentários:

Tati disse...

Ótimo post. Muito bem exposta essa questão.Concordo com você.
As roupinhas do meu filho compro no centro da cidade. Peças entre 7 e 15 reais, só pra brincar. Roupas pra sair compro um pouco melhor e pouco mais caras , mas não pago pelo absurdo de preço que é em certas lojas. Eles perdem muito rápido mesmo e não vale á pena.
Mas como vc disse, o que importa é qualidade e a beleza da peça.

Cláudia Leite disse...

Ci,
Vc pensa exatamente como eu. Saí desses grupos pois não conseguia vender minhas peças. As roupas de marca que a Bella têm, foi de liquidações, mas mesmo assim, são aquelas que achei muito bacana e que valiam à pena.
Nunca fui ligada à marcas, e isso é ótimo, acho que essas pessoas são meio que "escravas" de tudo isso.

Bjão!

O Apê de Nós Três! disse...

Concordo amiga.
Bom, eu nunca tive dinheiro para comprar roupas de marca pra mim e agora que tenho, não faço questão e pretendo ensinar meu filho a mesma coisa.
Sou exigente quando compro roupas pra ele, mas como vc disse, pela beleza e qualidade isso é que importa a etiqueta é mero detalhe totalmente dispensável!
bju

Léa disse...

É verdade, quando vou no brechó, vejo roupinhas lindas e novinhas e outras meio surradas (as vezes até manchadas) mas pelo dobro do preço só porque são de marca. Aprendi com meus pais desde pequena, e até hoje essas coisas não me fazem a cabeça. Quero passar o mesmo pra Manu. Bjos

Nanda disse...

Concordo com vc plenamente, a marca ''e so um detalhe e que para muitas pessoas fazem toda a diferença. O que acho disso??? BESTEIRA!!!

O que importa se ''e bonito e de boa qualidade.

bjux

Huíla. disse...

Caramba!! Vc tocou num assunto polemico!! Mas eu amei!! Nao somos pais, mas temos sobrinhos e afilhados. E ainda essa semana conversava com meu marido sobre isso, sobre como essa geracao de bebes com enxovais feitos em Miami que vestem mini roupas de grife vao crescer. Lembrando que essas roupas tb terao um mini tempo de uso pois bebes crescem e crescem muito rapido!! Bem, nao me deixo influenciar por essas datas consumistas como dia das criancas e pascoa. E me olham atravessado por eu nao presentear!! Mas enfim e o meu modo pensar!! Bjos. huilaclapp@gmail.com

Grauce disse...

Penso o mesmo que você. Pra ser sincera, nem sei os nomes das marcas de roupas de bebês. Acho desnecessário gastar muito dinheiro com algo que se perde rápido.

Tem muita gente que gosta de viver de aparências, as vezes compra roupas caras e mal tem um conforto dentro de casa como móceis decentes e um armário com um alimentação decente.

Parabens pelo seu post.

Anônimo disse...

adorei seu post pura verdarda !!!!!!!!!!!! vejo varios blog de maes que moram de aluguel nas fotos percebe se casa simples mais so falam da marca carters

Janaina Santos disse...

É amiga... infelizmente são estes os valores que as crianças vão acabar aprendendo, né? É uma pena!

bjo,
www.mamaezistica.com.br

Genis Borges disse...

Amiga, eu nunca liguei pra marca e nem ensino JM a isso. Ganhamos roupas usadas das amigas e doamos tb, tudo com muito carinho e capricho.
Ótimo assunto a ser tratado.
Bjus, Genis