11 maio 2014

Dedicação integral aos filhos - não é pra todas

Hoje uma pessoa veio me parabenizar por eu estar esperando um menino, disse que o sonho de todos os pais é ter um casal, apesar de eu não concordar com essa afirmação, e aí começou a falar da criação dos seus 2 filhos (homens):

Quando eles nasceram, quase nos anos 90, sua mulher ficou 10 anos em casa, sem trabalhar, somente pra se dedicar à maternidade. Eles nem chegaram a frequentar uma creche. Tinham a mãe 24 horas por dia. E ele ainda enfatizou que isso foi muito importante para a educação dos filhos e que toda mulher deveria ficar um tempo considerável com seus filhos em casa, sem trabalhar. Não desmerecendo a mulher no campo profissional e sim enaltecendo a mulher MÃE.

OK
Concordo
Seria muito bom se todas as mães tivessem esse privilégio e se seus maridos ganhassem o suficiente pra arcar com todas as despesas.
Mas hoje em dia simplesmente não dá!
A não ser que a família opte, em comum acordo, em abdicar de muita coisa, especialmente material, pra poder dar essa dedicação integral aos filhos.

No caso dessa pessoa, os tempos eram outros.
Onde se podia viver bem e feliz com pouco.
Não haviam os eletrônicos tão almejados hoje em dia. Não havia um bombardeamento de comerciais e a disponibilidade dessas coisas tão almejadas na época não era tão fácil.
Pra ter uma ideia, na minha infância entre 7 e 12 anos os meus sonhos de consumo nas datas como Natal e aniversário eram: penal do Paraguai, Barbie, bicicleta, patins...
Hoje em dia o que uma criança quer?
Smartphone, Tablet e por aí vai.
Como um pai de família consegue arcar com tudo dentro de uma casa se somente ele trabalhar fora?

Eu trabalho fora, meio período, por opção. Não me arrependo.
Meu marido ganha muito mais que eu e até acho que daria pra viver igual mesmo se eu ficasse em casa com meus filhos o dia inteiro (assim como sei que muitas de vocês que estão lendo também não trabalham fora e nem por isso mudaram o nível de vida).
Mas estou pensando nas mães cujos salários são essenciais pra sobrevivência da família.
Coitadas.
Elas não têm nem a opção de escolha.
Essas sim passam pouquíssimo tempo com os seus bens mais preciosos e quando se dão conta o tempo passou, os bebês já cresceram e nada voltará atrás.

Ser mãe é o trabalho mais cansativo (física e mentalmente) que uma mulher pode ter.
Mas é o trabalho mais prazeroso, mais recompensador, mais gratificante também.
E não recebemos em dinheiro.
Recebemos em sorrisos, carinho e abraços.

É uma pena que a maioria das mães não possa se dedicar a esse trabalho integralmente ou quase que integralmente.

E uma pena maior ainda que esse trabalho não remunerado não seja valorizado por muitas pessoas.
Pois pode ter certeza, se você ficar um dia inteiro com seu filho em casa, muitos (que não tem filhos e/ou especialmente homens) pensarão: "Que inveja. Ela tirou um dia de folga".
Ou pior, na licença maternidade pensarão que você está de férias. Isso aconteceu comigo. Voltei de licença e me perguntaram como foram as férias, sem tom de ironia nenhum.

Essas pessoas não param pra pensar em tudo que uma mãe faz numa casa.
Em tudo que ela faz por um filho e pelo marido.
E com certeza não devem valorizar o suficiente sua mãe e sua mulher.

Por essa razão, hoje quero parabenizar TODAS AS MÃES, por todo tempo dedicado aos seus filhos e por terem o mais difícil trabalho do mundo e mesmo assim agradecerem a Deus por isso.
Feliz Dia das Mães a todas vocês!

E especialmente um Feliz Dia das Mães à minha mãe, que é o meu exemplo de vida!


3 comentários:

Cláudia Leite disse...

Feliz dia das mães!!!
Essa na foto é sua mãe? Como é nova gente!!!

é verdade, cada família escolhe ou decide para si qual a melhor maneira de levar tudo, e em cada uma delas, as coisas fluem da melhor maneira, não dá para saber o que é certo, errado, ou melhor, não existem fórmulas!

bjo e boa semana!

O Apê de Nós Três! disse...

O meu caso é parecido com o seu, maido ganha tres vezes o meu salário, grande parte das familias vive com uma renda menor que o salario dele, mas eu preciso trabalhar e sei que tem muita relação com a maneira com que eu fui criada, meu pai me criou para os estudos e o trabalho e sempre me dizia e diz até hoje que não me criou pra ser sustentada por homem...sei que ele não está certo por completo, mas foi assim que me cvonstitui e ficar em casa o dia Todo me faz sentir muito mal! E optei por trabalhar meio periodo e assim tenho alcançado exito nas duas jornadas, há se toda mãe tivesse esse privilégio né?
Bom, parabéns a nós e a todas as mães!bju na pancinhaaa!

Bibi Ribeiro disse...

Eu acho que esse assunto é muito particular de cada um. Se quer trabalhar fora, se pode ficar em casa... enfim. Cada família tem a sua vontade, as suas prioridades e também seus sonhos, metas, pensamentos.
Eu não me vejo em casa 24 horas, porque eu preciso sair. Preciso falar sobre outros assuntos. Isso é meu combustível (também ).
Mesmo que meu marido ganhasse super bem, não deixaria de trabalhar. talvez trabalhasse 6 horas ou meio período. Porque sei que ficando em casa me tornaria uma pessoa insuportável. eles agradecem por eu ter meu trabalho... kkkk
Feliz dia das mães!
Bjo!